Paulo Emílio Azevedo – PAz

Professor, Doutor em Ciências Sociais com especialização em Antropologia do Corpo (e da Palavra). Escritor, criador e consultor em Educação e Cultura. Recebeu diversos prêmios, entre eles “Rumos Educação, Cultura e Arte” (2008/10) através do Instituto Itaú Cultural e “Nada sobre nós sem nós” (2011-12) no âmbito da Escola Brasil/Ministério da Cultura, com o intuito da publicação do livro “Notas sobre outros corpos possíveis” (2014) – com o mesmo concorreu a final do Prêmio Rio Literário (2015) na categoria “Ensaio”. Sendo um dos introdutores das práticas do poetry slam no Estado do Rio de Janeiro, vem desenvolvendo uma série de ações no campo da palavra falada e performance poética. No ano de 2016 foi um dos escritores convidados pela FLIP Paraty/RJ, em 2017 integrou o grupo de escritores na Printemps Littéraire Brésilien/Paris Sorbonne Université e em 2018 representou o país na Journée d’Etudes Cultures, arts et littératures périphériques dans les Amériques: une approche transnationale de la production, la circulation et la réception em Lyon (França). Em sua principal pesquisa na Literatura está o reconhecimento do método Reestruturalismo e o desenvolvimento da pesquisa “Cartografia da Palavra”. Quanto ao processo criativo quatro conceitos atravessam sua metodologia de trabalho, aquilo que o próprio denominou de 4D: desequilíbrio, desobediência, desconstrução e deformação – um aprofundamento sobre os mesmos pode ser melhor observado na plataforma da Cia Gente. Tem dezesseis livros escritos[1], sendo quinze publicados. É pai de Hiago; considerada sua obra-prima.


[1] O 1º livro “Street Dance, das garagens ao palco a formação de um espetáculo” (1998) não foi publicado.