É necessário
transformar
o desastre
em arte

Português English

Espaço reservado à produção intelectual de Paulo Emílio Azevedo.

Publicações

Críticas

Livro: Quarenta e três ou quatro formas de nascer

Para ser lido com o coração aberto e a mente livre. Adorei!

Tharcila Guedes / Professora
Livro: dEPOIS DOS 20 PROMETO ESCREVER O ROMANCE…

Gosto muito da desconstrução da narrativa, do tratamento “desrespeitoso” com o cânone”… da maneira que resolve os problemas que se coloca

Luiz Ruffato / Escritor e Crítico Literário
Livro: Palavra projétil

Admiro todo trabalho de Paulo Emílio Azevedo porque tem um brilho e inteligência tão próprios; e que nos toca sempre em suas “artes” com tamanha sensibilidade… Hoje suas poesias me acompanharam… E ler palavras inteligentes nos fazem um revirar na alma, nos conceitos… Nas coisas. Na verdade, não estou lendo, estou refletindo o livro!

Meynardo Rocha / Gestor Educacional
Livro: Notas sobre outros corpos possíveis

Eu vi, li, vou reler e quero que meu filho leia! Acredito que seja de grande importância a inclusão desta obra em todas as escolas deste país.

Julio Molina / Artista da dança
Residência: “Afeticidade”

Detonou uma bomba de amor e inquietação e se vai, cumpriu uma linda missão aqui.

Daniella Monte Rosa / Programadora
Oficina: Palavra Projétil

A oficina palavra projétil foi um divisor de águas na minha vida para definitivamente me assumir poeta e considerar a construção de uma carreira como escritor… Para onde eu vou, sempre levo o nome da Oficina para passear.

Rodrigo de La Rocha / Poeta e performer
Audiobook: Nós que quase nos perdemos por voz nos reencontramos

Paulo, que susto! E que lindo. Pra mim, sempre foi isso: poesia tem que ser falada.

Gabriela Santos / Pedagoga
Experiência: Fuso 10

Terrivelmente transformador

Gisele Prudêncio / Artista da dança
Oficina: O anarquitetônico

Lindo. Uma vivência maravilhosa, que ainda está em meus pensamentos, cada conceito e movimento.

Ariadna Medeiros / Artista da dança
Espetáculo: Menu de danças n.1

Com muito ainda pulsando, girando, questionando, num vai e volta frequente e intenso. É complexo demais tentar explicar o que está rolando aqui dentro nesse 1,56 (que, aliás, não muda há 7 anos). Mais uma vez, Paulo Emilio Azevedo mudando meu “eu” enquanto “artista cênico”. Obrigada a vocês que trouxeram e me passaram uma verdade única e singular, que lá do palco me tocou na plateia.

Keely Queiroz / Artista da dança
Espetáculo: Elementos disponíveis para outras composições

Não espetaculariza as diferenças, mas potencializa as capacidades poéticas de cada um! Tudo isso é reflexo da imersão de Paulo Emilio Azevedo e sua forma inusitada de criar!

Liliane Soares / Programadora
Espetáculo: Tetralogia Cidade

Desejo que a imagem que juntos criamos e recriamos no nosso corpo, que veio do lugar que marcamos no espaço da cidade seja sempre de nascimento. Sou hoje mais alguma coisa pelos atravessamentos dessa composição, e cresço de árvore indo da terra ao céu numa tensão de ação pulsante. Tô transbordando por ser com vocês. Gratidão.

Jéssica Felippe / Artista da dança
SOBRE O PAz

Com uma voz única na cena brasileira…, ao olhar para dentro, Paulo Emílio Azevedo nos permitiu ver melhor quem realmente somos e a descobrir aquilo que secretamente nos une. E, assim fazendo, talvez tenha nos reconciliado com o mundo

Tiago Franco / Escritor e Psicanalista
SOBRE O PAz

Paulo abusa da criatividade. Faz refletir através de movimentos, movimentos estes interpretados por artistas que o acompanham de longa data. Enquanto ensaia, demonstra sua facilidade ao trabalhar o abstrato, trazendo à tona o que há de melhor em cada diamante bruto que começa a lapidar, vejo aí o protagonismo em cena

Tamara de Paula / Jornalista
SOBRE O PAz

Paulo Emílio Azevedo me ajudou a afundar nessa coisa de se assumir poeta. Ele idealizou o Tagarela e me convidou para começarmos essa história juntos. A poesia nos tornou irmãos.

Max Medeiros / Poeta
Livro: Depois dos 20 prometo escrever o romance…

Gosto muito da desconstrução da narrativa, do tratamento “desrespeitoso” com o cânone”… da maneira que resolve os problemas que se coloca

Luiz Ruffato / Escritor e Crítico Literário
Livro: Quarenta e três ou quatro formas de nascer

Para ser lido com o coração aberto e a mente livre. Adorei!

Tharcila Guedes / Professora
Livro: Palavra projétil

Admiro todo trabalho de Paulo Emílio Azevedo porque tem um brilho e inteligência tão próprios; e que nos toca sempre em suas “artes” com tamanha sensibilidade… Hoje suas poesias me acompanharam… E ler palavras inteligentes nos fazem um revirar na alma, nos conceitos… Nas coisas. Na verdade, não estou lendo, estou refletindo o livro!

Meynardo Rocha / Gestor Educacional
Residência: “Afeticidade”

Detonou uma bomba de amor e inquietação e se vai, cumpriu uma linda missão aqui.

Daniella Monte Rosa / Programadora
Livro: Notas sobre outros corpos possíveis

Eu vi, li, vou reler e quero que meu filho leia! Acredito que seja de grande importância a inclusão desta obra em todas as escolas deste país.

Julio Molina / Artista da dança
Oficina: Palavra Projétil

A oficina palavra projétil foi um divisor de águas na minha vida para definitivamente me assumir poeta e considerar a construção de uma carreira como escritor… Para onde eu vou, sempre levo o nome da Oficina para passear.

Rodrigo de La Rocha / Poeta e performer
Audiobook: Nós que quase nos perdemos por voz nos reencontramos

Paulo, que susto! E que lindo. Pra mim, sempre foi isso: poesia tem que ser falada.

Gabriela Santos / Pedagoga
Experiência: Fuso 10

Terrivelmente transformador

Gisele Prudêncio / Artista da dança
Oficina: O anarquitetônico

Lindo. Uma vivência maravilhosa, que ainda está em meus pensamentos, cada conceito e movimento.

Ariadna Medeiros / Artista da dança
Espetáculo: Menu de danças n.1

Com muito ainda pulsando, girando, questionando, num vai e volta frequente e intenso. É complexo demais tentar explicar o que está rolando aqui dentro nesse 1,56 (que, aliás, não muda há 7 anos). Mais uma vez, Paulo Emilio Azevedo mudando meu “eu” enquanto “artista cênico”. Obrigada a vocês que trouxeram e me passaram uma verdade única e singular, que lá do palco me tocou na plateia.

Keely Queiroz / Artista da dança
Espetáculo: Elementos disponíveis para outras composições

Não espetaculariza as diferenças, mas potencializa as capacidades poéticas de cada um! Tudo isso é reflexo da imersão de Paulo Emilio Azevedo e sua forma inusitada de criar!

Liliane Soares / Programadora
Espetáculo: Tetralogia Cidade

Desejo que a imagem que juntos criamos e recriamos no nosso corpo, que veio do lugar que marcamos no espaço da cidade seja sempre de nascimento. Sou hoje mais alguma coisa pelos atravessamentos dessa composição, e cresço de árvore indo da terra ao céu numa tensão de ação pulsante. Tô transbordando por ser com vocês. Gratidão.

Jéssica Felippe / Artista da dança
SOBRE O PAz

Com uma voz única na cena brasileira…, ao olhar para dentro, Paulo Emílio Azevedo nos permitiu ver melhor quem realmente somos e a descobrir aquilo que secretamente nos une. E, assim fazendo, talvez tenha nos reconciliado com o mundo

Tiago Franco / Escritor e Psicanalista
SOBRE O PAz

Paulo abusa da criatividade. Faz refletir através de movimentos, movimentos estes interpretados por artistas que o acompanham de longa data. Enquanto ensaia, demonstra sua facilidade ao trabalhar o abstrato, trazendo à tona o que há de melhor em cada diamante bruto que começa a lapidar, vejo aí o protagonismo em cena

Tamara de Paula / Jornalista
SOBRE O PAz

Paulo Emílio Azevedo me ajudou a afundar nessa coisa de se assumir poeta. Ele idealizou o Tagarela e me convidou para começarmos essa história juntos. A poesia nos tornou irmãos.

Max Medeiros / Poeta

Contato